Pesquisar

Brasil foi o 4º maior mercado de energia solar do mundo em 2023

País acrescentou quase 12 GW de capacidade instalada na fonte fotovoltaica, mostra levantamento da Absolar; confira o ranking mundial

O Brasil foi o quarto maior mercado de energia solar do mundo em 2023, mostra levantamento do Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), com base em dados da Agência Internacional de Energia Renovável (Irena, na sigla em inglês). O país adicionou 11,9 GW de potência da fonte no ano passado, sendo superado apenas pela China, Estados Unidos e Alemanha.

Os números consideram a somatória das grandes usinas solares (geração centralizada) e dos sistemas de geração própria de pequeno e médio porte (geração distribuída). Conforme a associação, o desempenho do mercado brasileiro ao longo de 2023 representa mais de R$ 59,6 bilhões em investimentos, um crescimento de 49% em relação aos investimentos acumulados até o final de 2022.

Em relação a potência acumulada, o Brasil assumiu a sexta colocação, com 37 GW de capacidade instalada, ganhando duas posições em relação a lista de 2022, ultrapassando Itália e Austrália. Esse ranking também é liderado pela China, seguida pelos Estados Unidos, Japão, Alemanha e Índia.

Segunda principal fonte do país

Atualmente, em abril de 2024, a energia solar já supera 41 GW no Brasil e é a segunda maior fonte de eletricidade do país, respondendo por 17,4% da matriz elétrica nacional, sendo superada apenas pela fonte hídrica.

Conforme a Absolar, o setor é responsável por mais de R$ 195 bilhões em investimentos, que geraram mais de 1,2 milhão de empregos. Para o CEO da entidade, Rodrigo Sauaia, a solar fotovoltaica é a fonte renovável mais competitiva do país, sendo uma forte locomotiva para o desenvolvimento social, econômico e ambiental.

“O crescimento acelerado da energia solar é tendência mundial e o avanço brasileiro nesta área é destaque internacional. “O Brasil possui um dos melhores recursos solares do planeta e assume cada vez mais protagonismo neste processo de transição energética e combate ao aquecimento global”, explicou o dirigente.

O presidente do conselho de administração da Absolar, Ronaldo Koloszuk, ressaltou que, além de ser uma fonte competitiva e limpa, a maior inserção da energia solar é fundamental para o País reforçar a sua economia e impulsionar a sustentabilidade no Brasil e no mundo.

“A fonte solar é um verdadeiro motor de desenvolvimento sustentável, que atrai capital, traz divisas, gera grandes oportunidades de negócios, cria novos empregos verdes e amplia a renda dos cidadãos”, apontou Koloszuk.

Países que mais adicionaram energia solar em 2023:

  1. China: 216,9 GW
  2. EUA: 24,8 GW
  3. Alemanha: 14,2 GW
  4. Brasil: 11,9 GW
  5. Índia: 9,7 GW
  6. Itália: 5,2 GW
  7. Espanha: 4,8 GW
  8. Japão: 4,0 GW
  9. Austrália: 3,7 GW
  10. Polônia: 3,6 GW

Fonte: Portal Solar

Autor: Ricardo Casarin

Entre em contato Via WhatsApp

Controle de privacidade

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Ao aceitar ou continuar navegando neste site você concorda e declara estar ciente dos termos abaixo: Políticas de privacidade